Ciúme exagerado e suas características

Ciúme

Classificar a pessoa com ciúme normal e o exagerado pode ser uma tarefa complicada, por se tratar de questões subjetivas, mas por meio de algumas características podemos nos aproximar de uma reflexão sobre o tema.

Para iniciar uma reação de ciúmes é necessário um gatilho que dispare todo processo, e quanto menos importante ou mais irreal for esse gatilho, mas anormal será o ciúme.  Esse gatilho do ciúme não precisa ser provocado por uma ocorrência concreta e diretamente relacionada à fidelidade, mas pode ser disparado por razões simbólicas ou indiretas, que sugerem à pessoa ciumenta estar em jogo seu apreço, sua importância.

Seja qual for a causa do ciúme, ele traz sofrimento, uma vez que o ciúme excessivo não é um sentimento voltado para o outro, mas sim para si mesmo, para quem sente. Existe um medo de ser trocado, substituído, preterido, enfim de perder o primeiro lugar no coração da outra pessoa. Trata-se de um sentimento egocêntrico, associado à terrível sensação de deixar de representar um valor exclusivo para a pessoa amada.

São muitas as hipóteses que poderiam levar as pessoas desenvolverem ciúmes exagerado, uma delas é pensar na possibilidade de um vínculo afetivo frágil. Um dos fatores primordiais no desenvolvimento da personalidade é o desenvolvimento do vínculo afetivo.

As crianças que passam por vínculo afetivo frágil, inconstante e inseguro teriam a propensão a relacionamentos interpessoal inseguro e pouco confiante, tornando-se mais propensas ao ciúme não normal.

Características

A pessoa portadora do ciúme exagerado possui algumas características, como:

  • Dúvida sobre suas próprias capacidades de atrair interessados e iniciar novos relacionamentos.
  • Dificuldade em acreditar ser capaz de manter uma relação estável.
  • Possuem baixa autoestima, a qual leva à crença de que, muito provavelmente, virão a sofrer traição, sabe-se lá quando.
  • Imaginação obsessiva de fantasias paranoides, recheadas de perdas e humilhações.
  • Possui algumas ideias prevalentes que são supervalorizadas, aparecem quando o pensamento se centraliza em uma questão com uma enorme carga emocional.

O ciúme, em essência, representa uma desvalorização de si mesmo, uma baixa autoestima capaz de fazer com que a pessoa ciumenta busque obsessivamente indícios que confirmem suas falsas crenças de que ela não é amada e valorizada suficientemente.

Para as pessoas saudáveis, sentir ciúme desperta reflexão e questionamentos sobre o sentimento. O ciúme normal é transitório, especifico e baseado em fatos reais, já o ciúme não normal aparece como uma preocupação infundada, absurda e emancipada do contexto atual do relacionamento.

É importante ter consciência sobre os nossos sentimentos, por meio do autoconhecimento, pois o ciúme tem relação direta com os sentimentos de perda e frustração, sentimentos estes, presente no nosso dia a dia. Por isso a relevância de se procurar ajuda profissional quando necessário, para se libertar desse sentimento aprisionador chamado ciúme excessivo.

 

Escrito por

Kênia Ramos – Psicóloga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *